Pesquisar neste blogue

sexta-feira, março 30, 2012

Genial (o Silva das Vacas)

Fora a conotação política, considero fantástica esta analogia das vacas.....apesar de bastante "dura" aponta aspetos bastante importantes sobre o estado da nação e da democracia.

Texto de Luís Manuel Cunha in «Jornal de Barcelos», 5 de Outubro, 2011.
 
"O Silva das vacas
  Algumas das reminiscências da minha escola primária têm a ver com vacas. Porque a D.ª Albertina, a professora, uma mulher escalavrada e seca, mais mirrada que uva-passa, tinha um inexplicável fascínio por vacas. Primavera e vacas. De forma que, ora mandava fazer redacções sobre a primavera, ora se fixava na temática da vaca. A vaca era, assim, um assunto predilecto e de desenvolvimento obrigatório, o que, pela sua recorrência, se tornava insuportavelmente repetitivo. 

Um dia, o Zeca da Maria "gorda", farto de escrever que a vaca era um mamífero vertebrado, quadrúpede ruminante e muito amigo do homem a quem ajudava no trabalho e a quem fornecia leite e carne, blá, blá, blá, decidiu, num verdadeiro impulso de rebelião criativa, explicar a coisa de outra forma. E, se bem me lembro ainda, escreveu mais ou menos isto:
"A vaca, tal como alguns homens, tem quatro patas, duas à frente, duas atrás, duas à direita e duas à esquerda. A vaca é um animal cercado de pêlos por todos os lados, ao contrário da península que só não é cercada por um. O rabo da vaca não lhe serve para extrair o leite, mas para enxotar as moscas e espalhar a bosta. Na cabeça, a vaca tem dois cornos pequenos e lá dentro tem mioleira, que o meu pai diz que faz muito bem à inteligência e, por não comer mioleira, é que o padre é burro como um tamanco. Diz o meu pai e eu concordo, porque, na doutrina, me obriga a saber umas merdas de que não percebo nada como as bem-aventuranças. A vaca dá leite por fora e carne por dentro, embora agora as vacas já não façam tanta falta, porque foi descoberto o leite em pó. A vaca é um animal triste todo o ano, excepto no dia em que vai ao boi, disse-me o pai do Valdemar "pauzinho", que é dono do boi onde vão todas as vacas da freguesia. Um dia perguntei ao meu pai o que era isso da vaca ir ao boi e levei logo um estalo no focinho. O meu pai também diz que a mulher do regedor é uma vaca e eu também não entendi. Mas, escarmentado, já nem lhe perguntei se ela também ia ao boi."

Foi assim. Escusado será dizer que a D.ª Albertina, pouco dada a brincadeiras criativas, afinfou no pobre do Zeca um enxerto de porrada a sério. Mas acabou definitivamente com a vaca como tema de redacção.

Recordei-me desta história da D.ª Albertina e da vaca do Zeca da Maria "gorda", ao ler que Cavaco Silva, presidente da República desta vacaria indígena, em visita oficial ao Açores, saiu-se a certa altura com esta pérola vacum: "Ontem eu reparava no sorriso das vacas, estavam satisfeitíssimas olhando o pasto que começava a ficar verdejante"! Este homem, que se deixou rodear, no governo, pelo que viria a ser a maior corja de gatunos que Portugal politicamente produziu; este homem, inculto e ignorante, cuja cabeça é comparada metaforicamente ao sexo dos anjos; este político manhoso que sentiu necessidade de afirmar publicamente que tem de nascer duas vezes quem seja mais honesto que ele; este "cagarola" que foi humilhado por João Jardim e ficou calado; este homem que, desgraçadamente, foi eleito presidente da República de Portugal, no momento em que a miséria e a fome grassam pelo país, em que o desemprego se torna incontrolável, em que os pobres são miseravelmente espoliados a cada dia que passa, este homem, dizia, não tem mais nada para nos mostrar senão o fascínio pelo "sorriso das vacas", satisfeitíssimas olhando o pasto que começava a ficar verdejante"! Satisfeitíssimas, as vacas?!

Logo agora, em tempos de inseminação artificial, em que as desgraçadas já nem sequer dispõem da felicidade de "ir ao boi", ao menos uma vez cada ano! Noticiava há dias o Expresso que, há mais ou menos um ano e aquando de uma visita a uma exploração agrícola no âmbito do Roteiro da Juventude, Cavaco se confessou "surpreendidíssimo por ver que as vacas, umas atrás das outras, se encostavam ao robô e se sentiam deliciadas enquanto ele, durante seis ou sete minutos, realizava a ordenha"! Como se fosse possível alguma vaca poder sentir-se deliciada ao passar seis ou sete minutos com um robô a espremer-lhe as tetas!! Não sei se o fascínio de Cavaco por vacas terá ou não uma explicação freudiana. É possível. Porque este homem deve julgar-se o capataz de uma imensa vacaria, metáfora de um país chamado Portugal, onde há meia-dúzia de "vacas sagradas", essas sim com direito a atendimento personalizado pelo "boi", enquanto as outras são inexoravelmente "ordenhadas"! Sugadas sem piedade, até que das tetas não escorra mais nada e delas não reste senão peles penduradas, mirradas e sem proveito.

A este "Américo Tomás do século XXI" chamou um dia João Jardim, o "sr. Silva". Depreciativamente, conforme entendimento generalizado. Creio que não. Porque este homem deveria ser simplesmente "o Silva". O Silva das vacas. Presidente da República de Portugal. Desgraçadamente."

terça-feira, março 27, 2012

O mundo corporativo hoje em dia....


Tudo começou com umas mexidas...a estrutura imediatamente abaixo "abana" e ao invés de pensar - "quem quer que venha tenho apenas de continuar a fazer o meu trabalho", começa antes uma destas:
















Sim, porque é desta forma que se garantem empregos nas corporações.


Será que por não alinhar nas (des)estratégias, não fazer beija-mão, não ser lambe-botas, não me armar em menino bonito, não concordar com as diretrizes e por não falar de futebol me deverei preocupar!?!?!? eheheh

terça-feira, março 20, 2012

Detachment

Um grande filme. É um filme de atores, de interpretações, de inegável profundidade.
Tem um elenco fenomenal e que surpreende pela capacidade de representarem o ser normal no seu dia a dia, de não fazerem nada espetacular e de precisamente por isso, serem extraordinários nas  suas representações.

A história, a meu ver, é apenas o campo onde todas estas estrelas desfilam. É um filme sobre a dor, mas sobre a dor humana, aquela que vive dentro de nós e com a qual lidamos silenciosamente todos os dias.

Não esperem um filme hollywoodesco, aliás, não esperem nada........sentem-se apenas a ver um filme, sem expetativas e "detached" do que vos rodeia!

Let's look at the trailler:

sexta-feira, março 16, 2012

Guerras na Luz

Com este título podia ser um post sobre bola...mas nesse caso, este não era o blog certo!

Não gosto do Mira Amaral. (PONTO) mas apesar disso reconheço mérito na afirmação dele:

"Mexia era e continua a ser ministro da Energia",Ler mais: http://expresso.sapo.pt#ixzz1pIqLwUip

É sem dúvida uma interpretação sagaz e real do que se passa na EDP e por consequinte, no setor da energia em Portugal (esse poleiro que muitos querem, mas onde muito poucos assentam o rabiosque!)

segunda-feira, março 12, 2012

Comentários

Hoje de manhã ouvi um comentário espetacular:

Das melhores definições que já ouvi:
"Com diarreia (e da de esguicho) a andar de metro.....de repente, vontade de mandar um peido!!!! = Roleta Russa"

Aahahaha - brutal

quinta-feira, março 08, 2012

Sindicalices

Ontem fui apresentado a uma situação que considerei deveras interessante.
Uma amiga minha trabalha num sindicato, que representa trabalhadores dum determinado setor de atividade. Como será de esperar, esta organização, a nível interno, também tem a sua estrutura e hierarquia bem definidas, com direção, chefes, departamentos e trabalhadores. Como também será de esperar, a direção deste sindicato é a "cara" pública do mesmo e tenta no máximo das suas capacidades e possibilidades defender os interesses dos seus "sócios" e da sua "congregação" perante os patrões desse setor de atividade.

Até aqui, nada de novo. Certo?

O que achei delicioso foi saber que esta estrutura sindical tem internamente o seu próprio sindicato (que opera para bem dos seus próprios trabalhadores), ou seja, há trabalhadores que são duplamente sindicalistas e a direção do sindicato opera nos dois lados da linha. Dum lado é sindicalista e do outro é o patronato!!!! Considerei isto espantoso, uma vez que ocorrem reuniões entre o representante interno dos trabalhadores e a direção do sindicato, o que deve colocar estes últimos numa situação bem interessante....por um lado a minha profissão é defender trabalhores, mas por outro é também garantir a funcionalidade e viabilidades económicas duma instituição.

Mesmo que seja fácil separar as duas, deveria ser muito interessante observar o debate interno da pessoa nesta situação...tipo peça de teatro onde os dois lados da "batalha" se degladiem para obter vitórias.

domingo, março 04, 2012

Sunday dear sunday!!!

Domingo à tarde sem fazer nada e apenas despojado no sofá = (só possível a malta solteira e sem filhos eheheheh!!!)
Pesquisa personalizada