Pesquisar neste blogue

sexta-feira, julho 24, 2015

Maiorias

Uma vez que esta taberna é uma democracia, como a da República Portuguesa, hoje vamos votar qual será o próximo vinho da casa, mas aviso já que terá de ser por maioria absoluta!!!!! Acordos entre pessoas? Cedências? Compromissos? Entendimentos entre opiniões divergentes!?! Nada disso, estão a ouvir?!!?

Maiorias...
Em Portugal existe uma natureza anti-democrática! Todos têm democracia na boca, mas no coração só pensam em ditaduras! Desde que temos este Presidente da República, ainda mais se nota isto. Um defensor encapsulado de regimes autoritários e ditaturiais, com medo real da democracia e do que ela implica, que não se farta nem envergonha de pedir maiorias absolutas!! A meu ver, é um dos principais responsáveis do meu país estar como está hoje, com uma dívida pública de 126,9% do PIB, com défices estruturais na economia e totalmente dependente da intervenção estrangeira, mas isso é outro tema.

Na última semana, todos vêm com a treta das maiorias absolutas - foram elas que mataram e estrangularam o país - desde o PR, ao PM, a alguma oposição e a comentadores com agenda política, aos quais a imprensa adora dar cobertura. Ninguém parece querer aquilo que é efetivamente democracia, ninguém parece querer ter trabalho de aproximar opiniões, conversar com outras forças políticas, ceder e conceder, chegar a entendimentos. Temos de mudar esta forma de estar na vida...temos de alterar a forma de fazer política e para isso temos de aumentar o espectro de opiniões, de partidos, de movimentos populares, de associativismo..temos de aprender a falar e a conviver com a diferença!! Temos de saber que a democracia passa mais por minorias do que pelo contrário - viva o multipartidarismo!

segunda-feira, julho 13, 2015

Consequências dos "sonhos"

Podia referir o imenso jogo político, cíclico, em que a Europa está envolvida (como aliás, a história pode facilmente comprovar). Podia falar em como a classe política nacional está agora a começar a ficar preocupada com as eleições de Outubro. Podia falar em como o nosso PR é dos homens com mais medo da democracia que conheço. Podia falar da importância dos movimentos de cidadãos no renovar da democracia Portuguesa. Podia falar em como o mercado Português está a ser inundado pelas bebidas "tipo radler". Podia falar da experiência fantástica que foi o Campeonato Nacional de Velocidade (Remo). Podia falar de mais temas que tenho guardados para publicar aqui na tasca, mas não vou :)))

Falo antes duma verdadeira peça de Jornalismo (às vezes sabe bem saber que ainda há jornalistas de investigação neste país). Falo sim desta peça publicada no Expresso Online A incrível viagem de Donald Crowhurst, o homem que se matou por vergonha
Deixo aqui a introdução:
"(...)Esta é uma história sobre ilusões e deceções, glórias imaginadas e fracassos comoventes. E sobre tudo o que os homens estão dispostos a fazer para não desiludirem os que verdadeiramente amam. Começa com um barco que é encontrado misteriosamente à deriva no Atlântico e acaba com uma interrogação: o que teríamos feito de diferente no lugar deste homem?(...)"



Após a leitura integral da reportagem, achei que era um tema genial para abordar na tasca. Se fosse professor de Filosofia, Antropologia, Sociologia, Psicologia acho que reservava aulas para abordar este caso. Daqui podemos por todos a pensar, no que se faria, como se faria, o que está certo ou errado, se há convenções, ou não..etc...no fundo, era pano para mangas!!! Mas acima de tudo, porque da forma como a peça está escrita, permite-nos uma coisa extraordinária - Põe-nos a pensar!!


Pesquisa personalizada